Editor

REVISTA “ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR”

Luís Mendes Pedro

A “Angiologia e Cirurgia Vascular” nasceu com a SPACV em 2001 como órgão científico oficial da então nova sociedade aglutinadora da maioria dos cirurgiões vasculares portugueses. O seu crescimento acompanhou a implantação da sociedade e como seria natural ambas cresceram de forma progressiva. Neste âmbito, não quero deixar de realçar a importante acção da primeira equipe editorial e em particular do anterior editor, Prof. Doutor J. Fernandes e Fernandes, na criação da “Angiologia e Cirurgia Vascular” do ponto de vista científico, físico, logístico e na indispensável reunião de uma “carteira” de anunciantes que permitissem a viabilidade económica do projecto.

A equipe editorial actual é composta pelo editor e pelos editores associados a quem agradeço a disponibilidade para colaborarem no desenvolvimento da revista, enquanto projecto científico e enquanto reflexo da própria actividade da SPACV. Com a reunião desta equipe procurou-se a constituição de um grupo dinâmico que impulsione a “Angiologia e Cirurgia Vascular” para uma nova fase de crescimento e de maior implantação.

Os objectivos principais do actual projecto da revista são os seguintes:

  1. Consolidar a regularidade de publicação desenvolvendo condições para a manutenção da publicação de 4 números / ano. Este objectivo, naturalmente, só será conseguido com a colaboração de todos os membros da SPACV na medida em que depende estritamente da produção científica enviada para publicação. Gostaria de aproveitar esta oportunidade para solicitar a todos um maior empenhamento na “produção” de artigos científicos e no seu envio para publicação à revista da nossa Sociedade. Sem isso, os objectivos propostos abaixo não serão possíveis.
  2. Promover o processo de indexação da revista em sistemas internacionais de referências médicas. Este processo, tão almejado por todos, depende, entre outros, da estabilidade da periodicidade da publicação que se procurará manter.
  3. Desenvolvimento de um processo de “peer review” e de comentários científicos com o pedido regular de revisão dos artigos por Colegas com interesse nas áreas respectivas ou em áreas afins e com o objectivo de incrementar a qualidade do material publicado. Conta-se para este efeito com a colaboração de todo o Corpo Redactorial. No entanto tal só será possível com o incremento do número de artigos enviados para publicação.
  4. Estandardizar secções da revista com a inclusão sistemática de artigos de revisão, de artigos originais, de casos clínicos e eventualmente de uma secção de imagens vasculares com interesse científico ou pedagógico.
  5. Introdução de uma secção de comentários e recomendações sobre a leitura de artigos relevantes publicados em revistas e jornais de referência, como chamada de atenção para a sua leitura.
  6. Pedido de autorização para publicação na nossa revista de eventuais artigos de consenso que possam funcionar como “guidelines” de actuação.

Como é natural, os objectivos enunciados só serão concretizáveis com o empenhamento “activo” dos membros da SPACV e da comunidade vascular portuguesa pelo que se renova o pedido de estímulo à produção científica e pedagógica e a eleição da “Angiologia e Cirurgia Vascular” como revista prioritária à sua publicação.

 

 

 

Conselho Redatorial

Editor
– Luís Mendes Pedro (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Hospital de S. Maria, Lisboa).

Corpo Redatorial
– Gabriel Anacleto
– J. Sousa Castro
– Isabel Cássio
– Jorge Cruz
– Angélica Damião
– Diogo Cunha e Sá
– A. Guedes Vaz

Editores Associados
– Armando Mansilha (Faculdade de Medicina do Porto e Hospital de S. João, Porto).
– Sérgio Sampaio (Faculdade de Medicina do Porto e Hospital de S. João, Porto).
– Daniel Brandão (Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho e Faculdade de Medicina da Universidade do Porto).
– Ruy Fernandes e Fernandes (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Hospital de S. Maria, Lisboa).

 

 

 

Normas de Publicação

A Revista Angiologia e Cirurgia Vascular tem como objectivo principal a publicação de artigos científicos de angiologia e cirurgia Vascular, breves notícias e novas técnicas de diagnóstico e tratamento.

As contribuições podem ser sob a forma de editorial, artigos originais, artigos de revisão, casos Clínicos, notas terapêuticas, técnicas, e de novas tecnologias, pequenos artigos originais, e cartas ao Editor.

Os editoriais, artigos de homenagem e os trabalhos de revisão e de actualização são publicados a pedido da Direcção da Revista. A definição do número de secções em que se divide cada número da Revista Angiologia e Cirurgia Vascular é da responsabilidade da mesma.

Os artigos deverão ser entregues em conformidade com as normas abaixo descritas.

MANUSCRITOS
Todos os trabalhos devem ser enviados para o Editor da Revista nas seguintes condições:

– deverão ser acompanhados de uma carta de pedido de publicação onde conste a classificação dos artigos de acordo com com as diferentes rubricas da Revista Angiologia e Cirurgia Vascular;
– deverão ser acompanhados de declaração de originalidade e de cedência de direitos de propriedade dos artigos, assinada por todos os autores, e de acordo com a minuta publicada na Revista;
– todos os elementos do trabalho, incluindo a iconografia, devem ser enviados em triplicado;
-no manuscrito deve figurar a morada, telefone, fax e e-mail do autor responsável, para correspondência;
– o trabalho deve ser apresentado na seguinte ordem:

1| títulos em português e/ou inglês e autores;
2| palavras-chave, resumo em português e inglês;
3| texto;
4| agradecimentos;
5| bibliografia;
6| legendas;
7| figuras;
8| quadros.

As páginas devem ser numeradas segundo a sequência referida atrás. No caso de haver segunda versão do trabalho, esta também deve ser enviada em triplicado.

Os artigos poderão ser:
– aceites sem modificação;
– aceites após correcções ou modificações propostas pelos peritos ou pelo Comité Redactorial aos respectivos autores e por estes aceites;
– publicados sob forma de resumo, após prévio acordo com os autores;
– recusados.

Os motivos da recusa e os pareceres dos consultores serão sempre comunicados aos autores.

Título da página
– Titulo curto, sem abreviaturas.
– Primeiro nome, apelidos e assinaturas dos autores.
– Instituto, Universidade ou Departamento e Hospital no qual o autor trabalha.
– Nome, monda e telefone do autor para onde deve ser enviada toda a correspondência.
– Datas e nomes de todos os congressos onde o trabalho já foi apresentado.
– Referência a todos os fundos recebidos ou contratos de investigação.

Sumário e palavras-chave
Os artigos devem incluir um resumo estruturado de duzentos a duzentos e cinquenta palavras, contendo a seguinte informação:

Introdução
Principal assunto do estudo e hipóteses testadas.

Métodos e material 

” Design” experimental
Descrição do tipo de estudo (prospectivo, comparativo, retrospectivo, randomizado etc.).

Cenário
Indicação do cenário e níveis de cuidados clínicos, por exemplo, prática privada ou pública, ambulatório ou internamento, para que os leitores possam determinar a aplicação do relatório à sua própria realidade

Pacientes e participantes
Descrição da selecção de procedimentos, critérios aplicados, dados sócio-dernográficos doenças e número de participantes que iniciaram e terminaram o estudo.

Intervenções
Descrição dos principais aspectos do tratamento e intervenção (ou da sua ausência).

Medidas
Estado e descrição das medidas tal como planeadas antes do estudo.

Resultados
Descrição dos principais

Conclusões
Explicite a importância e possíveis aplicações das conclusões suportadas pelos dados experimentais
Deve ser usada a terminologia . a que consta na lista de Index Medicus: “Medical Subject Headir” (Me5.H.)

ARTIGOS ORIGINAIS
Os artigos originais devem ser =a contribuição original para o assunto em questão. Devem ter no máximo oito páginas dactilografadas e trinta referências. Os artigos devem ser divididos nas seguintes secções:

Introdução
Materiais e métodos
Resultados
Discussão
Conclusão

ARTIGOS DE REVISÃO
Os artigos devem exprimir o conhecimento actual e proporcionar uma análise crítica actualizada do assunto.
Devem ter no máximo doze páginas dactilografadas e sessenta referências. Podem ser divididos em secções se tal se achar necessário.

CASOS CLÍNICOS
O interesse desta secção da Revista é poder publicar casos interessantes ou pouco comuns. Casos apresentados em conferências de patologia clínica ou que tenham requerido novas ou inovadoras técnicas para tratamento podem também ser aqui publicados. Nos casos mio tratamento envolveu um angiologista, um cirurgião, ou a intervenção de um radiologista são considerados de especial interesse para publicação neste espaço da Revista. 0 caso deve incluir um breve resumo, sumariando o caso.

0 resumo deve ter no máximo entre cem e cento e vinte e cinco palavras. Deve incluir a descrição do caso seguido. o artigo deve subdividir-se em:

Introdução
Caso isolado ou série clínica
Comentários
Conclusão.

Na secção de comentários o autor deve facultar as referências à literatura pertinente para o caso. Se se tratar de um caso de conferência de patologia clínica, então deverá incluir discussão dos diferentes diagnósticos e uma revisão dos aspectos mais controversos.

Serão aceites no máximo dez a quinze referências dactilografadas a dois espaços. Os autores podem submeter não mais de três ou quatro figuras e uma ou duas tabelas.

PROCESSADOR DE TEXTO
Microsoft Word

DECLARAÇÃO DE ANUÊNCIA À PUBLICAÇÃO
Declaro que autorizo a publicação do manuscrito junto, com o título (________) do qual sou autor ou co-autor.
Declaro ainda que o presente manuscrito é original, não foi objecto de qualquer outro tipo de publicação e cedo a inteira propriedade à Revista Angiologia e Cirurgia Vascular, ficando a sua reprodução, no todo ou em parte, dependente de prévia autorização dos Editores.